Tela Preta

Watchmen: super-heróis contra a supremacia branca

O cinema e a televisão sempre exaltaram os super-heróis. Os mocinhos com super-poderes em diferentes trajes foram reivindicados pela população ou pelo governo quando um vilão ou uma situação de caos extraordinária/sobrenatural se apresentava.

Na vida real, crianças e adultos adoram super-heróis e tecem homenagens nos mais diversos produtos, claro, usando fantasias.

Já na minissérie de ficção Watchmen (2019), da HBO, os heróis não tem espaço e são caçados como bandidos, graças a instauração da Lei Keene, pelo senador Joe Keene.

Protagonizada por Regina King, Watchmen é baseada numa história em quadrinhos de 1986 e busca dar continuidade aos últimos fatos ocorridos na HQ. Como sinaliza o diretor Damon Lindelof (Lost), é uma adaptação, continuação e remix.

A série de ficção estreou em 2020, trazendo heróis negros onde o racismo e a supremacia branca motivam os crimes cometidos nos Estados Unidos. Os eventos estão diretamente relacionados ao massacre real ocorrido em Tulsa, Oklahoma, quando pessoas brancas invadiram a cidade, assassinaram centenas de negros e atearam fogo em casas e propriedades comerciais.

No universo da série, os super-heróis são ilegais, e a polícia vive sob vigilância. Os policiais não podem revelar sua profissão, nem mesmo para as famílias, e precisam trabalhar disfarçados, usando máscaras e fantasias para despistar a Sétima Kavalaria, um grupo supremacista que persegue e assassina policiais, especialmente negros.

2019. Crédito: HBO/Divulgação. Cultura. Cena da série Watchmen da HBO.

Angela Abar (Regina King) é uma detetive que atua na investigação do assassinato de seu superior e amigo, sob o disfarce de Sister Night. A investigação vai levá-la a grandes descobertas sobre seu passado, especialmente sobre sua ascendência, e a surpresas sobre as relações das pessoas em que mais confia com a Sétima Kavalaria.

A série aborda temas urgentes e contemporâneos, como racismo, violência e traumas familiares. E no cenário político atual, onde os atos de extremismo e intolerância têm causado impactos expressivos na vida das pessoas, especialmente negras, esses assuntos discutidos na série a colocam num lugar de importância e de discussão.

Foto: HBO/Divulgação.

A Sétima Kavalaria é inspirada nas organizações extremistas que vem pregando a intolerância, o fascismo e a supremacia racial em atos violentos, não apenas nos Estados Unidos, mas em diversos países. No Brasil, a extrema direita vem buscando por mais adeptos, como vimos em alguns movimentos recentes realizados em Brasília.  

Watchmen é uma distopia que consegue falar sobre esses temas de um modo muito semelhante à vida real.

Watchmen conquistou a crítica, mas não renovou

A série conquistou a crítica especializada em 2019 e foi eleita como uma das melhores do ano e da HBO. A obra também entrou para a tradicional lista de melhores filmes e séries eleitas pelo ex-presidente norte-americano, Barack Obama.

Apesar do sucesso conquistado e das dezenas de indicações a prêmios, a HBO não renovou a série para a segunda temporada. O canal e o criador da série, Damon Lindelof, não entram em um consenso sobre de quem partiu a escolha de produzir uma única temporada.

Segundo a HBO, a decisão estava nas mãos de Lindelof, enquanto o autor diz que isso não competia a ele. O que sabemos é que, apesar de ter deixado várias tramas abertas , o final ficará em aberto.

Indicações ao Emmy 2020

A 72ª edição do Emmy, realizada em 2020, teve o recorde de indicações de atores e atrizes negros nas principais categorias. Ao todo, foram 35 negros e negras de um total de 102 nomeados.

Watchmen é a grande responsável para o aumento desse número. A série recebeu indicações em 26 categorias. A protagonista Regina King foi nomeada na categoria Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para TV, e três atores foram indicados na categoria de Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie ou Filme para TV: Yahya Abdul-Mateen II (Call/ Dr Manhattan), Jovan Adepo (Will Reeves jovem), Louis Gossett Jr (Will Reeves/ Justiça Encapuzada). 

Fatos da HQ Watchmen (1986)

A HQ de 1986 foi escrita por Alan Moore e Dave Gibbons. Na história, que se passa nos anos 30, surgiu o grupo Homens do Minuto, formado por super-heróis de Nova Iorque, sendo o Justiça Encapuzada o mais importante deles. Em 1960, um novo grupo de jovens heróis foi formado com a presença de Ozymandias,  Rorschach e o mais forte de todos, o Dr Manhattan.

Em 1977, a Lei Keene tornou a atividade ilegal, e os super-heróis passaram a viver escondidos, sob ameaça de serem capturados e encarcerados. Na iminência de uma guerra mundial, causada por Estados Unidos e União Soviética, Ozymandias criou um plano para tirar o foco da guerra e unir novamente as nações. Ele forjou um ataque alienígena que matou mais de 3 milhões de pessoas no mundo, mas impediu que a guerra acontecesse.

Tragédia real em Tulsa

Em 1921, num dos episódios mais macabros da história da supremacia racial nos Estados Unidos, centenas de negros foram assassinados e milhares ficaram desabrigados em um massacre cometido por pessoas brancas na comunidade de Greenwich, em Tulsa, no estado do Oklahoma.

A cidade de Tulsa era conhecida como a Wall Street Negra, uma das comunidades negras mais prósperas, devido à descoberta de poços de petróleo que enriqueceu homens brancos e negros.

Historiadores acreditam que o massacre foi motivado por ressentimento da população branca, pois a maioria dos negros naquela comunidade era rica e possuía até mesmo aviões. A destruição foi iniciada após um episódio de racismo seguido da tentativa de linchamento de um homem negro por um crime que não existiu.

Na década de 20, a segregação racial era praticada fortemente nos Estados Unidos. O grupo supremacista branco Ku Klux Klan era muito forte na época e apoiou a destruição de Tulsa.

Ficha técnica

Watchmen
Ano: 2019
País de origem: Estados Unidos
Duração: 60 min
Gênero: Drama, Ficção Científica e Ação 
Direção geral: Damon Lindelof
Roteiro: Damon Lindelof, Jeff Jensen e Carly Wray
Produção: Damon Lindelof, Nicole Kassell, Tom Spezialy e Stephen Williams
Elenco: Regina King, Don Johnson, Tim Blake Nelson, Yahya Abdul-Mateen II, Andrew Howard, Jacob Ming-Trent, Tom Mison, Sara Vickers, Dylan Schombing, Louis Gossett Jr. e Jeremy Irons
Diretores de episódios: Stephen Williams, Steph Green, Andrij Parekh, David Semel, Frederick E.O. Toye
Disponível em: HBO

Compartilhe: