Notícias Publieditorial

Negrê abre financiamento coletivo para ampliar e custear mídia negra nordestina

O Site Negrê, o primeiro portal de notícias e mídia negra nordestina do Brasil, lança a primeira etapa da campanha de financiamento coletivo a partir desta segunda-feira, 15, para melhorar a sua estrutura e ampliar seus projetos de comunicação, dando mais visibilidade às pautas negras e nordestinas.

Foto: Sara Sousa.

Com colaboradores, repórteres, colunistas e articulistas de diversos estados do Nordeste, contribuindo nas 8 editorias fixas, 14 sub-editorias, o Site Negrê pauta notícias, opinião, arte, comportamento, música, história, diáspora africana, contemporaneidade, regionalismo, cinema, literatura entre outras diversas áreas. São espaços em que pessoas negras e nordestinas protagonizam já que a visibilidade na mídia tradicional é mínima. Os apoiadores da mídia negra nordestina do Brasil podem dar a sua contribuição através das plataformas: APOIA.se, Pic Pay e Pix.

Os recursos serão destinados para melhorias na estrutura da produção de conteúdo, remuneração de profissionais, compra de equipamentos e ampliação dos projetos do Negrê. Os apoiadores da nossa mídia negra nordestina podem doar a partir de R$ 5,00 através do Pix, com a chave [email protected], além do perfil do Negrê no Pic Pay e, ainda na campanha Financie o Negrê por meio da plataforma APOIA.se. A primeira etapa do financiamento coletivo pretende, inicialmente, arrecadar R$ 5 mil reais por mês.   

Trajetória

Com um pouco mais de seis meses de atividade, o Site Negrê estreou em 18 de julho de 2020, Dia do aniversário do ativista sul-africano Nelson Mandela (1918-2013). Momento em que ocorre a inflamada onda de debates raciais ocorridos, principalmente, no Brasil e nos Estados Unidos. Apesar de ter sido lançado em julho de 2020, o Negrê é um projeto de comunicação antirrascista embrionado em 2018, pelas jornalistas Larissa Carvalho e Sara Sousa, durante o curso Abdias Nascimento – Comunicação e Igualdade Racial, formação realizada pelo Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce).

“Ao final do curso, a gente idealizou o Negrê como um produto jornalístico, mas só no ano passado a gente conseguiu se organizar para lançar o Negrê para o mundo. E ocorreu em um momento muito importante como o debate racial mais intensificado nas redes sociais”, conta Larissa Carvalho, fundadora e diretora executiva do Negrê.  

Para a cofundadora e diretora de operações do Negrê, Sara Sousa, o portal do Negrê vai além da notícia, é um espaço de relações. “Nós conseguimos aproximar as pessoas pretas e nordestinas em suas questões, seus interesses e transformar isso em uma grande comunidade. Seja através da história de um artista, de uma notícia, ou um artigo que aborda suas individualidades. Muitas pessoas se encontram e se reconhecem nesse espaço”.  

Iniciativas

Negrê Podcast e Tela Preta

O Negrê lançou recentemente seu primeiro de podcast que pode ser acompanhado em sete agregadores. Novos debates são lançados todas às sextas-feiras na produção nova. Também, às sextas-feiras, a editoria Tela Preta indica filmes, documentários e séries com temática racial. As resenhas são publicadas no portal e no IGTV do Instagram @sitenegre.

Conheça o Site Negrê é o episódio #01 do Negrê Podcast. Foto: Sara Sousa.

Especial África Sustentável

Além dos produtos multimídia, o portal também investe em conteúdo de qualidade com reportagens especiais. No ano passado, foi lançada o Especial África Sustentável, uma série de reportagens que reporta sobre o conteúdo de Sustentabilidade dentro de cinco países de cada uma das cinco regiões do Continente Africano.     

Especial África Sustentável. Arte: Sâmia Martins.

De acordo com as fundadoras, são muitas as ideias e projetos para serem executados para dar cada vez mais notoriedade a questões raciais e regionais, para áreas de entretenimento, empreendedorismo, jornalismo e cultura, mas, para que todos os projetos sejam executados, há necessidade do investimento para aquisição de equipamentos, produção do conteúdo e tecnologia.

“Da mesma forma em que nós acreditamos e nos sentimos felizes em dar essa notoriedade aos temas raciais e regionais, sabemos que quem nos acompanha se sente representado e sabe da importância do nosso papel. Agora, podem nos ajudar a crescer e continuar a nossa trajetória”, conta Larissa Carvalho. 

Financie o Negrê!

APOIA.se – Campanha Financie o Negrê
Pic Pay – Basta digitar “Site Negrê” na busca
Pix – chave: [email protected]

*Essa publicação faz parte do marketing institucional do Negrê.

Foto de capa: Sara Sousa.

LEIA TAMBÉM: Conheça o mais novo produto do Negrê: o Negrê Podcast

Ouça o episódio #02 – Lucas Koka, BBB e a culpa do homem preto:

Apoie a mídia negra nordestina: Financie o Negrê aqui!

Compartilhe: