Covid-19

Campanha Genocídio pelo Covid-19 apoia constantemente famílias periféricas brasileiras

25 mil pessoas beneficiadas. 6.850 cestas básicas distribuídas. 120 toneladas de alimentos. 3.597 contribuintes. Até agora, estes são alguns números da campanha Genocídio pelo Covid-19 puxada pela Organização não-Governamental (ONG) UNEafro Brasil

O movimento social visa amenizar o efeito devastador do Coronavírus nas periferias do país mediante a negligência do Estado brasileiro. Sobretudo, para a população negra, que têm 62% mais risco de morrer vítimas do Covid-19, segundo Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP).

A vaquinha, que está na sua terceira etapa, tem agora como meta atingir a quantia de R$ 1.075.000,00. Os donativos arrecadados continuam sendo destinados à distribuição de cestas básicas e kits de higiene. Mas também, para o núcleo educativo da UNEafro e outros movimentos parceiros da instituição.

Estes recursos serão distribuídos para além do eixo Rio-São Paulo. O conjunto, cesta mais kit de higiene, deve chegar a beneficiar 900 famílias quilombolas dos estados de Amapá, Goiás, junto aos dois estados nordestinos, Bahia e Pernambuco.

O educador e fundador da UNEafro, Douglas Belchior, 41. Foto: Reprodução/Instagram.

Uneafro Brasil

A União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os (UNEafro) surgiu em 2009, a partir de uma dissidência da Educafro. Foi fundada pelo o educador, Douglas Belchior, 41. O movimento é conhecido pela rede de cursinhos pré-vestibulares comunitários que, inicialmente, atendia jovens negros de São Paulo. Hoje, a UNEafro contabiliza 32 núcleos nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. 

Saiba mais

Acesse o link da vaquinha aqui!
Entre em contato neste e-mail: [email protected] 

Foto de capa: Sérgio Souza/Unsplash.

LEIA TAMBÉM: Saúde na quarentena: 5 hábitos para uma mente mais saudável

Compartilhe: